Sinjope e Fenaj repudiam a propagação de mentiras nas eleições 2020

postado em: Notícias | 0

 

 

O Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco (Sinjope) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) vêm a público repudiar as notícias falsas que foram espalhadas neste segundo turno das eleições municipais no Recife. Como representantes de uma categoria profissional que tem como fundamento a ética na comunicação, o Sindicato e a Federação se veem na obrigação de alertar a todos para o perigo da disseminação de mentiras, que passaram a ser comuns nas campanhas eleitorais brasileiras depois que marcaram as últimas eleições presidenciais.

Chamadas de fake news, as notícias falsas têm se multiplicado neste pleito eleitoral e confundido a escolha da população. O objetivo central das mentiras é o de difamar e caluniar a reputação de adversários políticos para que eles sejam derrotados nas eleições, mas a disseminação do ódio acaba promovendo um efeito muito mais nocivo a toda a sociedade. As mentiras promovem a raiva, o rancor, a intolerância, o conflito social, os desentendimentos e, sobretudo, a violência entre pessoas de ideologias contrárias, sejam desconhecidas, amigas ou até mesmo parentes. Desta maneira, prejudicam-se pessoas comuns, além dos políticos.

Usadas por quem não têm a capacidade de ganhar o eleitorado por meio de propostas e quer levar vantagem sobre os adversários, as mentiras contaminam o processo e fazem com que o eleitor não vote justamente em quem poderia lhe defender. Qualquer tipo de informação falsa, da mais simples à mais absurda, induz as pessoas ao erro. Importante destacarmos que, em vários casos, a notícia contém uma informação falsa cercada de outras verdadeiras em uma tentativa de lhe dar maior credibilidade.

Um dado grave foi constatado pelos pesquisadores do Massachusetts Institute of Tecnology (MIT), nos Estados Unidos. Segundo eles, a chance de uma notícia falsa ser repassada, por meio de redes sociais, é consideravelmente maior do que a de uma verdadeira. Foram analisadas 126 mil notícias e constatou-se que a probabilidade de republicar uma informação falsa é 70% maior do que a de republicar uma notícia verdadeira.

A mentira também pode ceifar vidas. Depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou situação de “Pandemia Global”, em decorrência do novo coronavírus (Covid-19), houve um aumento exponencial de fake news e informações sem base científica ou fontes confiáveis a respeito do assunto em todo o mundo. No Brasil, não foi diferente. E as mentiras fizeram com que muita gente desacreditasse do perigo da Covid-19 e acabasse contraindo a doença e morrendo!

Portanto, o Sinjope e a Fenaj se sentem na obrigação de condenar a propagação de notícias falsas. Somos comunicadores sociais e lutaremos sempre pela propagação da verdade. A verdade doa em quem doer!

Recife, 27 de novembro de 2020

 

 

Compartilhe

Deixe uma resposta